Marcelo Pelleritti em Bernardo de Irigoyen!!

Dia 16 de agosto tivemos uma grande surpresa aqui na fronteira. Marcelo Pelleritti, um dos enólogos mais prestigiados do mundo (Grupo Clos de Los Siete na Argentina e Vignobles Péré-Vergé na França), veio visitar nossa fronteira a convite da enoteca Vera Vinos.

Desde já deixo meu sincero agradecimento ao Joncy, Maurício e Gustavo por terem me convidado. Estávamos em poucos, mas realmente a oportunidade era imperdível! Desejo sucesso nos negócios e que novos eventos como esse possa acontecer no futuro.

De todas as degustações e palestras que já participei aqui em Dionísio Cerqueira e região,  nenhuma se compara a visita de Marcelo Pelleritti na última semana.

Chance única de poder ouvir uma personalidade como Marcelo, principalmente por sua vasta experiência de diversas colheitas na Argentina e na França.

Em 2015 estive no Château Le Gay (link da publicação http://guilhermemaran.blogspot.com/2016/07/marcelo-pelleriti-e-seus-vinhos.html), onde provei alguns de seus melhores vinhos. Com exceção do Château La Violette (pequena produção e preço elevado), provamos vários vinhos de singular qualidade e invulgar expressão do terroir.

Aqui em Bernardo Marcelo veio divulgar os vinhos de seu projeto pessoal e também os vinhos da bodega Abremundos, parceria com o músico Pedro Aznar. (http://www.abremundos.net/es/)

Particularmente já era fã dos vinhos de Marcelo, mas agora fiquei mais fã ainda. Pessoa super simpática, simples e humilde, além de um enorme conhecimento que merece ser prestigiado.

Após a degustação, o jantar foi servido no restaurante Forchetta, um dos melhores aqui da fronteira. Excelente jantar baseado em carnes argentinas, morcillas, madioca, saladas, pães, patês e arroz. Enfim, um jantar com a culinária típica da região, muito farto e saboroso. (https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g8801210-d8798752-Reviews-Forchetta_Restaurant-Bernardo_de_Irigoyen_Province_of_Misiones_Litoral.html)

Vamos as notas de prova:

Provamos três vinhos da linha Signature - uma espécie de linha Reserva dos vinhos de Marcelo -, com destaque para o Sémillon e para o Malbec. O Sémillon é realmente um vinho diferenciado. Muito típico em tudo! Elegante, mas também austero! Um vinho sério que merece ser provado. 
Notas de pêssego e abacaxi maduros, além de pedras calcárias. Não passa por barrica e, sengundo Marcelo, é um vinho que fica melhor a medida que envelhece.
Excelente ($ 374,00 pesos na Vera Vinos).

Já o Malbec é muito bem feito. Acima da média para vinhos na mesma faixa de preço.
Limpo, saboroso, com aquela fruta copiosa mais ácida de dar água na boca. Não é apelativo como outros Malbecs similares. Pelo contrário: caminha no sentido oposto, onde o menos é mais e os detalhes se destacam.
Recomendo a prova ($ 421,00 na Vera Vinos).

O Cabernet fica num nível inferior, com algumas notas herbáceas que não me agradam tanto, mas mesmo assim é também muito bom. Custa o mesmo preço do Malbec.

Para mim o Grand Reserve Selection foi o vinho da noite. Não esperava um salto tão grande de qualidade entre as duas linhas.
O vinho é excelente, rico e concentrado.
Trata-se de blend de 70% de Malbec, 20% de Petit Verdot e 10% de Cabernet Sauvignon, com 16 a 22 meses em barricas de carvalho francês.
A Petit Verdot contribui com a estrutura, a tanicidade, além de uma carga tânica muito importante para a longa guarda.
Todo o processo de elaboração é detalhista, com seleção manual de grão em grão e que são depositados e macerados a frio dentro das barricas. Depois o vinho fermenta nas próprias barricas (micro-vinificação), onde vai estagiar por mais 16/22 meses até ser engarrafado.
É um vinho complexo, concentrado e para longo envelhecimento. Apesar dos 5 anos, ainda fechado, com coloração escura, impenetrável e violácea.
Muito fino no nariz e no paladar. Realmente muito saboroso em boca. Taninos ainda perceptíveis e com excelente acidez para trazer vivacidade ao conjunto.
Enfim, um vinho excelente (nota 93). Custa na Vera Vinos $ 775,00, o que eu considero um ótimo custo/benefício pela qualidade.

Provamos também o Octava Alta e o Octava Superior da bodega Abremundos, cujo link está no começo do post.
São vinhos já reconhecidos pela crítica e com pontuações elevadas.

O Octava Alta é um blend de 80% de Malbec e 20% de Cabernet Franc, também microvinificado em barrica (maceração em frio a 8°C por 10/15 dias), onde estagia por outros 18 meses.
O vinho é intenso e concentrado, como coloração violácea ainda bem fechada.
Fechado, com algo reduzido nos aromas, mas num estilo bastante "limpo" na vinificação.
Muita compota, ameixa preta, pimenta negra, chocolate, mirtilos e geléia de ameixa.
Taninos bem marcados e com acidez elevada para um vinho argentino.
É um vinho muito fino e sério e que precisa de guarda.
No geral é excelente (nota 92 na minha avaliação). Recebeu 95 de James Suckling e 93 de Parker na safra 2013.
Seu preço na Vera Vinos é $ 617,00 pesos.

O Octava Superior é ainda mais intenso e concentrado. Um blend de 75% de Cabernet Franc, 20% de Malbec e 5% de Syrah. Apenas 4 mil garrafas.
Aqui o foco é a Cabernet Franc, uva comercialmente "da moda" na Argentina e que caiu muito bem no gosto do brasileiro e da crítica internacional, além de produzir vinhos realmente muito bons nos Valle de Uco e região.
Mantém a sistemática da microvinificação em barrica, onde estagia por outros 22 meses, também com uma seleção manual de grãos.
Apesar de ser um 2011, o vinho segue fechado, intenso e concentrado.
No nariz é ligeiramente mais herbáceo que o Octava Alta, mas a fruta madura é o foco principal. Muita amora madura e mirtilos. Também notas de pimenta negra, engaço, chocolate amargo e tostado.
Em boca é encorpado, saboroso e ligeiramente tânico. Precisa de mais uns 8 anos para suavizar os taninos e ganhar elegância. A acidez também se destaca, trazendo vivacidade ao conjunto e longo retrogosto.
Encerro dizendo que é um vinho muito fino e sério e que precisa de guarda, pois é bastante potente em sua juventude. 
No geral é excelente (nota 93/94). Recebeu nota 96 de James Suckling na safra 2013.
Sua produção foi de apenas 4 mil garrafas nesta safra. O preço na Vera Vinos é $ 1.320,00.

Seguem algumas fotos do evento:







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENCERRANDO 2018 COM CHAVE DE OURO!!!

TRAPICHE Malbec Orellana 2007.